• Ranielli Silva

Lápis de cor = O Mundo Encantado ( Parte 3)

QUANDO ELA SAI...

Professora: Não sei, mais existe alguma coisa estranha nessa historia. Acho que vou investigar a vida dessa criança. Não pode existir uma mãe tão fria a este ponto. Algo me diz que Perinho não é filho desta megera. Que Deus me perdoe se estou levantando falso testemunho. Acho que existe algo errado nesta família.

NESTE INSTANTE ELA SE AJOELHA REZA BAIXINHO, LEVANTA-SE E RECITA UM POEMA.

As cores que me despertam

Como uma chama iluminaram

Me ninaram nos meus sonhos,

De fora inesquecível revolucionaram.

O tempo passou

As cores me deixou

Mas para sempre ficou

A magia de exalar amor

A beleza de seus raios

Derrubaram o muro da tristeza,

Enchendo-se de paz e pureza.

Refletindo o amor

Contido no jardim sombrio

De um coração vazio

FECHARA-SE AS CORTINAS E ABREM-SEM RAPIDAMENTE. CENÁRIO: SALA DE AULA DA PROFESSORA. PEDRINHO SENTADO NA CARTEIRA QUANDO DE REPENTE...

Professora: Pedrinho, não lhe falei que nesta semana você teria um dia especial? Olhe quem eu trouxe para você conhecer.

Pedrinho: Mas, porque ele está vestido assim?

Professora: Eu comprei esta roupa pra ninguém desconfiar.

Pedrinho: Professora como à senhora é boa.

Tum Gago: Qual é meu? Como é o seu nome?

Pedrinho: Meu nome é Pedrinho e o seu?

Tum Gago: Me chamo de Tum Gago.

Pedrinho: Tum Gago? Porque lhe chamam assim?

Tum Gago: Sei lá cara. Desde pequeno, este foi o nome que meu pai de rua me deu.

Pedrinho: Pai de rua?

Professora: Pedrinho este é o meu protetor. Toda criança de rua tem outra criança mais velha que toma conta. E tudo que ela ganha ou rouba é dividido com esta criança mais velha.

Tum Gago: E você cara porque é tão diferente, pelo que estou vendo se trata de um almofadinha.

Professora: Pedrinho é diferente é uma criança preocupada com o futuro d todas as crianças do mundo. Ele ira ajuda-lo.

Pedrinho: Meus pais tem muito dinheiro e eu junto com a professora...

Tum Gago: Poxa cara, você tem alguma coisa de familiar.

Professora: Você deve esta enganado, ele nunca saiu nas ruas do Brasil.

Tum Gago: Não sei por que estou com essa impressão meu brother.

Pedrinho: Queria poder contar com você, quero ajudar.

Tum Gago: E eu estou aqui pra ser ajudado.

Pedrinho: Como é sua vida, seu dia a dia.

Tum Gago: Cara tenho que roubar para poder comer e durmo em cima de um papelão.

Professora: Pedrinho, não chore. A vida é assim. Isto é o mundo verdadeiro, não o mundo que você vive.

O solitário sobrevivente,

Não sabe por que é tão desfavorecido.

Anda pelas ruas descontente

Sem saber o quanto é protegido.

Na insegurança da escuridão

Jamais enxergara a luz divina,

O brilho forte do luar ou das estrelas,

A sagrada beleza que não se afasta da sua triste sina.

Na noite sempre fria

Não percebe o quanto o vento assobia

A canção do amparo.

Não conhece seu poder, seu brilho raro.

O papelão que o faz sonhar

Torna-se um leito amado,

Pois acomoda como um lar

As esperanças de um ser abandonado.

Criança perdida, não é o filho da noite.

Ele foi inspirado na dor

Daquele que teve como carinho o açoite.

Na vida de Jesus, o salvador.

Pedrinho: E sua mãe? Porque lhe abandonou?

Tum Gago: Qual é a cara? Eu já nasci em um monte de lixo. Minha mãe era uma bêbada e não ligava para nada. Teve dois filhos de uma vez só.

Pedrinho: Quer dizer que você tem um irmão gêmeo. Você sabe aonde ele esta agora?

Tum Gago: Cara não tenho a menor ideia, tá ligado?

Professora: Você tem vontade de ter um lar Tum Gago?

Tum Gago: Claro professora. Queria poder estudar. Ter um futuro melhor. Agora todos os dias e ter o que comer invés de aventurar, ter que tirar dinheiro dos pais de família ou dos turistas. A senhora num sabe como me sinto mal.

Pedrinho: Olhe Tum Gago. Como eu gostaria que você ficasse aqui.

Tum Gago: Seria o maior presente, entendeu meu brother, ai que alegria.

Professora: Você merece, aliais não só você, mas todas as crianças do universo. A partir de agora tratarei você como filho.

Pedrinho: E você Tum Gago quer ela como mãe?

Tum Gago: Claro. Eu num tenho palavra pra agradecer.

Pedrinho: A partir de agora estou mais avaliado, pois já tenho dois amigos.

Tum Gago: E terá muito mais. O que eu conheço de gente. Gente fina de alta qualidade meu veio. Oi brother tenho tanta coisa boa pra te contar. Se bem que muita coisa ruim também.

Professora: Semana passada eu estive conversando com Sr; Alfredo, Pedrinho.

Pedrinho: Sobre o que professora?

Professora: Sobre tanta coisa. Ele sempre teve uma quedinha por mim, mas eu nunca me interessei por ele. Desce que minha irmã morreu, praticamente perdi a vontade...

Pedrinho: Professora, a senhora nunca teve ninguém?

Professora: Não, ela era governanta. Morava com uma família muito rica. Um dia ela teve uma parada cardíaca e...

Pedrinho: Não chore, por favor...

Tum Gago: Que é isso professora, deixa pra lá. A vida é assim mesmo. Pior que isso fui eu que nasci em cima de um monte de lixo.

Professora: Pedrinho. Sabe por que sua mãe lhe colocou aqui nesta banca?

Pedrinho: Claro que não. Acho que foi porque a senhora é competente. Teria outro motivo.

Professora: Claro que tem. Minha irmã era Maria. A governanta da sua casa.

Pedrinho: Não é possível, porque a senhora me escondeu isto. Porque será meus pais nunca me contaram?

Professora: Eu fui proibida todos estes anos. Mas agora não preciso esconder mais isto. Sua família me ajudou a ficar financeiramente estável e tudo que possuo hoje agradeço a eles.

Pedrinho: Professora, porque todo este mistério.

Professora: Eles tinham muito medo que andasse falando por ai...

Pedrinho: Falando o que professora. O que eles têm para esconder?

Tum Gago: Meu brother em briga de família eu não me meto.

Professora: Às vezes eu imagino que eles pensam que minha irmã contava-me algumas coisas particulares da sua família. Só que minha irmã era muito fiel a sua mãe e eu nunca soube de nada.

Pedrinho: Professora posso descansar um pouco?

Professora: Claro, amanhã nós sairemos para comprar roupas para você e partir para recuperar o tempo perdido, afinal de contas quero que você tenha uma vida digna.

Tum Gago: Eu só tenho a agradecer pelo carinho que vocês estão tendo comigo.

QUANDO TUM GAGO SAI DA SALA A PROFESSORA COMEÇA A CHORAR

Professora: Pedrinho tenho que lhe confessar uma coisa, uma coisa que esta me machucando muito. E realmente não posso mais lhe enganar.

Professora: Pedrinho eu descobri que você é filho adotivo.

Pedrinho: Como foi que senhora soube disso?

Professora: Minha irmã falava certas coisas comigo que me levaram a desconfiar. Depois que ela morreu aumentou a minha desconfiança. Eu passei também a lhe conhecer melhor e vê a relação de vocês como era. Sinto muito Pedrinho, mas desde que fui ao mundo encantado, descobri a maior virtude do ser humano: A verdade acima de qualquer coisa. E principalmente quando se trata de uma pessoa tão transparente como você. Tão bonita interiormente. Creio Pedrinho que você é um enviado especial.

PEDRINHO CHORA MUITO E A PROFESSORA CONSOLA. ELE SENTA AO SEU LADO E COLOCA A CABEÇA EM SEU OMBRO.

Professora: Chore criança, porque o choro purifica a alma. Quando choramos quase sempre nos aproximamos de Deus. As crianças estão quase sempre perto de Deus justamente por isso. Devido esta liberação de fluidos negativos que nos faz mal de uma forma que chegamos a ficar doente. O choro faz parte da vida de uma criança tão interessante que é impossível ser criança se não chora e todo adulto que se priva deste consolo está distante de ser um homem de bem.

Chorar é:

Renascer para a vida,

Avaliar-se das dores, dos temores.

Reencontrar a trajetória perdida

Curar as mágoas, as feridas.

A cada lágrima,

Um pecado pago.

A cada suspiro,

Um gesto menino.

Lavar a alma,

Deixar alva, sair da lama.

Construir com o sal das lágrimas

Castelos de bondade

E com a água os jardins da amizade.

Com o vermelho dos olhos

Iluminar o coração.

Transformar a vida

Num mar de infinita emoção: O Amor

PEDRINHO SE LEVANTA E ENXUGA AS LÁGRIMAS E NESTE INSTANTE OUVE-SE AO FUNDO UMA VOZ.

Voz: ‘Agora é invocar, na fé, a promessa e Jesus: “Eu venci o mundo”. Sim ele venceu o mundo para nós. Os horrores deste mundo não devem reger-nos. Podemos contar com o fato de eu esta conosco aquele que nos redimiu, de modo que medo e tribulação não podem tomar-nos e tirar o melhor de nós. Agora e também entregarmo-nos ao pai através de Jesus, em total confiança. O pai mais poderoso e benevolente é meu escudo e minha fortaleza, meu baluarte na hora da aflição. Ele conhece aqueles que nele confiam.”

Leiam o segredo da oração em todas as situações de vida e encontrarão respostas para suas duvidas. Sou a consciência de cada um de vocês e só conseguiu me ouvir aqueles que estão com a consciência limpa.

FECHAM-SE AS CORTINAS E ENCERRA-SE A SEGUNDA PARTE.

Cenário: A criança está no seu quarto quando de repente...

Pedrinho: Como queria estar agora no mundo encanto junto com todas aquelas coisas. Será que eles não podiam abrirem uma exceção. Como queria voltar a vê-los, será que se eu tocar novamente na caixa de lápis eles retornaram? Vou pegar para ver o que acontece.

PEDRINHO FAZ COMO ELES MANDARAM: TOCA NA CAIXA E FICA PENSANDO NO MUNDO ENCANTADO.

Vós da Cor Preta: Pedrinho, não podemos aparecer mais. Infelizmente você tem que comentar com a minha vós; agora você é uma criança feliz; sentiu o gosto da amizade.

Vós da Cor Azul: Aproveite Pedrinho e faça sempre o que puder por todas as pessoas carentes de amizades, carinho...

Vós da Cor Amarela: Lembre-se sempre do mundo encantado. A união é tudo, sem ela infelizmente não chegaremos a lugar nenhum.

Vós da Cor Verde: Não desista de seus ideias e sempre tenha a humildade como a sua maior arma.

Vós da Cor Branca: Siga sempre os dez mandamentos que você será uma criança feliz e não sentira mais a nossa falta.

NESTE INSTANTE ENTRA EM CENA A MÃE DA CRIANÇA E O SURPREEENDE CONVERSANDO SOZINHO

Mãe: Está ficando maluco menino? Porque está falando sozinho?

Pedrinho: Estava apenas decorando uma lição, mãe.

Mãe: Meu filho, você está com uma aparência horrível. Logo hoje que seu pai chega da viajem. Ele não vai gostar, Por isso anime-se.

Pedrinho: Mãe, eles quase nem me vê. Chega aqui e vai logo para o escritório, só anda jantando fora e quando volta para casa já estou dormindo.

Mãe: Seu pai é uma pessoa muito importante isto é o que importa e você tem que está preparado pra recebê-lo. Portanto arrume-se e esteja com a cara ótima.

Pedrinho: Desculpe mãe, mas não me sinto muito bem hoje e vou dormir cedo.

Mãe: Estou, sinceramente, ficando preocupada com você.

Pedrinho: Preocupada porque mãe? Apenas porque eu não quero ficar acordado para receber meu pai. Uma pessoa que não tem tempo nem para me desejar um bom dia

Mãe: Olhe se você continuar vou levar você num psicólogo amigo meu.

Pedrinho: Faça como a senhora quiser mãe, sinceramente eu não dou a mínima.

Mãe: Pedrinho está lhe avisando, não me provoque. Você não sabe do que eu sou capaz.

Pedrinho: Mãe, a senhora esquece que lhe conheço a bastante tempo.

Mãe: Cale a boca seu...

Pedrinho: Vamos mãe, tenha coragem e revele logo eu não sou seu filho.

Mãe: Quem lhe disse um absurdo deste?

Pedrinho: Não importa eu descobrir as respostas das muitas interrogações que eu tinha na cabeça.

Mãe: Meu filho você não vai acreditar em um absurdo destes não é?

Pedrinho: Mãe, se a senhora quisesse que eu não creditasse, só era ter me dado mais carinho. Afinal de contas...

Mãe: Já sei que está colocando estas coisas em sua cabeça.

Pedrinho: É claro que a senhora sabe até demais.

Mãe: Como ousa falar assim com a sua mãe, você não tem este direito.

Pedrinho: A professora é irmã da Maria, nossa governanta que morreu e a senhora nunca me falou sobre isto.

Mãe: Então foi ela, eu sabia...

Pedrinho: Sinto muito mãe, mas acho que descobri o motivo pelo qual a senhora não gosta de mim.

Mãe: Filho isto não é verdade, por favor, não faça isto comigo.

Pedrinho: Acho que a melhor solução é ir embora desta casa.

Mãe: Filho se você fizer isto, eu juro que faço uma besteira.

Pedrinho: Como pode me esconder todo este tempo que não era seu filho?

Mãe: E de eu importa isso agora, e aqui você sempre teve tudo.

Pedrinho: Tudo? Menos o amor de vocês. Vocês na verdade nunca conseguiram gostar de mim de verdade. Eu jamais me importaria de ser um filho adotivo se tivesse o amor de vocês. Mãe, a senhora não sabe como sofri todos estes anos sendo sempre colocando de lado.

Mãe: Meu filho, eu te garanto isto não acontecera mais.

Pedrinho: Mãe, amor não se compra. Não aparece por vontade própria e algo que invade o corpo sem permissão e senhora não nasceu para amar ninguém e muito menos a mim; um filho de rua.

Mãe: Filho seu pai deve estar chegando não comente nada disso com ele.

Pedrinho: Meu pai? Como pode ser meu pai, se quase não o vejo. Ele nunca se preocupou comigo. Tratou-me sempre como um investimento. Como se eu fosse mais uma de suas empresas.

Mãe: Você está sendo injusto, afinal de contas lhe demos um lar.

Pedrinho: Pelas ruas existem muitas crianças precisando de amparo. Podem colocar outra em meu lugar. A partir de hoje quero morar com a professora, á sim encontrei amor, carinho e compreensão.

Mãe: Pedrinho meu filho, você não está sabendo o que fala.

Pedrinho: Tanto sei, que Deus clareou o meu caminho e acabou fazendo eu saber de toda a verdade.

NESTE INSTANTE SR. ALFREDO ENTRA NA SALA E AVISA QUE O PAI DO PEDRINHO CHEGOU AO AEROPORTO.

Mãe: Meu filho na volta continuaremos esta conversa.

Pedrinho: Mãe, eu não tenho mais o que conversar com a senhora.

Mãe: Você e meu filho e não pode deixar de me ouvir nunca.

QUANDO A MÃE SE RETIRA, PEDRINHO LIGA PARA PROFESSORA.

Pedrinho: Professora, aqui quem esta falando é o Pedrinho. Eu não aguento ficar mais aqui nesta casa. Queria é morar com a senhora. Minha mãe já descobriu tudo. Já sabe que foi a senhora que me disse que eu era filho adotivo. Estou já arrumando minhas coisas. Aqui neste lugar eu não fico. A senhora ira me aceitar não é mesmo? Eu não tenho ninguém nesta vida. Por favor, professora aceite...

PEDRINHO FICA EM SILÊNCIO POR ALGUNS INSTANTES E DE REPENTE ABRE UM LARGO SORRISO EM SEU ROSTO.

Pedrinho: Eu sabia que a senhora não iria me desapontar. Como eu te amo. A senhora na verdade foi enviada... Esta bem aguardarei a senhora aqui. Meu pai deve estar chegando de viajem e eu lhe direi a mesma coisa que disse a minha mãe.

PEDRINHO DESLIGA O TELEFONE E NESTE INSTANTE ENTRA SUA MÃE E O SEU PAI.

Pedrinho: Olá pai, como está? Como foi de viajem?

Pai: Sua mãe me contou sobre tudo que está acontecendo. Meu filho o que está lhe faltando. Tudo que me pedes, eu prontamente lhe dou. O que falta para que sejas feliz.

Pedrinho: Falte-me tudo, inclusive tua companhia.

Pai: Mais filho eu sou muito ocupado, tenho que cuidar de tudo sozinho qundo cresceres veras que...

Pedrinho: Eu não ficarei aqui pra ver.

Pai: De que você está falando? Filho todo este patrimônio que hoje possuo ficará para você.

Pedrinho: Pai precisa ler a bíblia, o livro sagrado. Para entramos no paraíso e necessário que larguemos tudo e entreguemos nosso coração a Deus. E mais fácil um camelo passar no fundo de uma agulha do que um rico entrar no reino de Deus.

Pai: Filho não me venha com estas coisas numa hora como esta.

A PROFESSORA ENTRA NO QUARTO CARREGANDO TUM GAGO MÃO.

Mãe: O que esta criatura está fazendo aqui?

Pedrinho: Eu convidei, ela merece participar, pois a partir de hoje irei morar com ela e ele será meu irmão. (APONTA PARA TUM GAGO)

Professora: Na verdade Pedrinho ele sempre foi seu irmão.

Pedrinho: Não estou entendendo. A senhora quer dizer que...

Professora: Sim Pedrinho, eu venho escondendo isto de você, não da mais para esconder, chega de mentiras.

Pedrinho: Mas... Como foi que a senhora descobriu?

Professora: Eu já desconfiava que você era filho adotivo. Sr. Alfredo apenas confirmou uma realidade. Depois foi fácil, localizei antigas amizades de minha irmã que além de contar detalhes íntimos da sua família ainda me levaram a seu irmão. Sua mãe adotiva Pedrinho, era louca para ter um filho, porque seu pai queria muito e como ela não podia ter, então mandou que uma das suas empregadas arranjasse um recém-nascido para ela criar. Realmente não foi difícil pelo nível de miséria que o pais alcançou; perto da casa dessa antiga empregada havia uma mãe com dois bebes sem poder criar, sua mãe mandou então que ela oferecesse dinheiro por uma das crianças e ela aceitou. Ela era alcoólatra e pouco tempo morreu e deixou seu outro filho entregue a própria sorte. Vale ressaltar aqui, que todos os empregados levaram um bom dinheiro pra não comentar o caso com ninguém, inclusive minha irmã teve a garantia que caso acontecesse alguma coisa com ela, eu não estaria desamparada. Por isso Pedrinho o medo de seus pais com a sua segurança. E o medo também de você fazer alguma amizade.

Tum Gago: Meu brother, você é meu irmão. Oi, eu não sou de chorar mais acho que não vou aguentar.

PEDRINHO, A PROFESSORA E TUM GAGO SE ABRAÇAM E CHORAM.

Pai: Meu filho, eu não queria que fosse desta forma. Ainda falei com sua mãe para fazer isto, mas ela não me ouviu.

Mãe: Realmente...

Tum Gago: Eu só lucrei neta historia, ganhei uma mãe e um irmão. Finalmente tenho um lar.

Mãe: Meu filho, por favor, me perdoe. Realmente eu errei em ter feito tufo isso com você.

Pedrinho: O importante mãe, é que acordei a tempo.

Professora: Já mais teria contado tudo isso ao Pedrinho, se realmente não o amasse. Pedrinho e agora Tum Gago é a razão da minha vida.

Mãe: Mas eu também o amo. Apenas não aceitava o fato de não ter tido um filho. Toda vez que pensava em lhe dar carinho vinha em minha o quanto eu sofri para poder ter este prazer. O prazer de ser mãe de verdade. Fazer meu marido feliz. Agora estou convencida que apesar de não ter acompanhado direito a infância de Pedrinho, eu amo demais para perdê-lo. É a única coisa boa que...

Pai: Filho, nós erramos em lhe tratar da forma que lhe tratamos, mas pelo amor de Deus nos perdoem. Reconsidere sua decisão, faremos tudo que você quiser para ficar com você.

Pedrinho: Tem certeza pai do que está falando?

Pai: Claro filho, você não sabe quanto estou sofrendo só em pensar que você...

Pedrinho: Eu também amo vocês, mas só ficarei se Tum Gago for registrado como meu irmão e a professora justamente com ele poder vim morar aqui com a gente. Afinal eles agora também fazem patê da família.

Pai: Meu filho é claro que concordamos. Tudo que você nos pedir atenderemos, inclusive vou nomear alguém para me substituir na empresa para ficar mais tempo ao seu lado.

Mãe: Filho, Você não sabe quanto remorso exala do meu corpo neste momento. Eu não sei como pude ser tão mesquinha este tempo todo.

Professora: O importante é que agora as crianças terão um lar de verdade e eu fico feliz em poder participar dele. É uma alegria maravilhosa...

Tum Gago: Claro professora. Vou poder até ir pra escola e quando voltar tomar um banho fresco pra almoçar, num é Pedrinho?

Pedrinho: Claro Tum Gago. Você terá os mesmos direitos que eu tenho.

Mãe: Queria dizer a todos vocês que meu marido não participou desta historia, a culpa é toda minha. Ele sempre foi um homem muito bom, por isso foi fácil de ser enganado. Quando a pessoa não tem maldade dentro de si. O mal se desfará de bom e hipnotiza estas pessoas. Ele sempre amou o Pedrinho, mas nunca teve espaço para demonstrar este amor e eu sou a culpada por isso.

NESTE MOMENTO COMEÇA A CHORAR E PEDRINHO E O PAI VÃO CONSOLA-LA ENQUANTO TUM GAGO E A PROFESSORA SE ABRAÇAM. E AO FUNDO UMA MÚSICA DE CAETANO VELOSO: FORA DE ORDEM.

Pedrinho Agradeço as cores, ao mundo encantado por toda esta felicidade. Eles realmente tocaram meu coração.

Professora: Até hoje eu não sei realmente se sonhei ou se fui ao mundo encantado.

NESTE MOMENTO APARECEM TODAS AS CORES. MUITA MÚSICA E FUMAÇA E ALEGRIA.

Preto: Gente, gente a vida é bela e deve ser vivida intensamente. Criança tem que aproveitar sua infância, sua adolescência. Não se deve obrigar a criança a ser adulta antes da hora. O carinho e atenção é essencial para que mais tarde ele não venha ter problemas. E viva a vida, viva, viva, pois ela é a felicidade e quem não tem amor, não pode ser feliz de verdade.

ENCERRAMENTO COM A MÚSICA: ISTO É A FELICIDADE.


FIM

22 visualizações

N E C M E

71 999928683

Fax: (11) 4567-8910

©2019 por neurociência,educação, cinema, música e esporte. Orgulhosamente criado com Wix.com